Notícias

O IPDAL divulga o estudo apresentado no X Fórum do Turismo “Portugal – América Latina”, com a evolução do relacionamento entre o país e a região nos últimos 10 anos.

 

NOTA INTRODUTÓRIA
Ao final de 10 anos a reunir consecutivamente os embaixadores da América Latina em Lisboa com os principais atores do turismo português, o IPDAL assumiu o compromisso de analisar a evolução dos intercâmbios turísticos entre o país e a região, desde precisamente 2008.


Numa altura em que o setor manifesta uma relevância sem precedentes na economia portuguesa, registando recordes absolutos nas entradas de turistas, investimentos diversos, criação de emprego, inovação na oferta de serviços e atividades associadas ao setor, mais sentido ainda faz para o IPDAL elaborar este ponto da situação e apresentá-lo no X Fórum do Turismo.

Os países latino-americanos e caribenhos, como economias emergentes que são, têm visto crescer as suas classes médias e o poder de compra das suas populações. Ao mesmo tempo, os governos destes países têm-se demonstrado cada vez mais empenhados no desenvolvimento dos seus setores turísticos, tirando proveito não só da atratividade dos seus recursos naturais e culturais como da crescente estabilidade das suas condições socioeconómicas. A credibilidade que lhes tem sido reconhecida pela comunidade internacional reflete-se também no aumento das entradas turísticas. Devido a esta conjugação de fatores, os destinos latino-americanos e caribenhos têm-se consolidado gradualmente como opções estratégicas de investimento para as empresas portuguesas e escolhas cada vez mais populares no leque de preferências dos portugueses.

O IPDAL, cuja missão e esforço permanente é justamente fortalecer as relações entre Portugal e a região, não pode deixar de se congratular por, desde a primeira hora, ter identificado o Turismo como um dos eixos fundamentais deste relacionamento. O facto de existir um número crescente de portugueses a escolherem países da região para passar as suas férias, expandir os seus negócios e investir, da mesma forma que se verifica um crescente interesse por parte dos cidadãos destes países em visitar Portugal, é motivo de enorme satisfação para o IPDAL.

Neste relatório, apresentamos os dados oficiais, fornecidos na sua maioria pelo Turismo de Portugal e sistematizados pelo Instituto, que ilustram a evolução dos intercâmbios turísticos entre Portugal e a região: analisamos o
número de turistas que têm viajado nestes últimos 10 anos, a abertura de ligações aéreas e os investimentos portugueses mais relevantes na América Latina e Caraíbas desde 2009 até 2016 – registo de dados mais recente.

 

1. FLUXOS TURISTICOS DA AMÉRICA LATINA E CARAÍBAS PARA PORTUGAL

Os fluxos turísticos da América Latina e Caraíbas para Portugal têm vindo a aumentar significativamente desde 2009 até ao último registo. Este aumento mede-se tanto a nível do número de hóspedes, como através do número de dormidas em estabelecimentos hoteleiros, aldeamentos e apartamentos turísticos, entre outros.

1Hóspedes ALC para PT

Podemos confirmar que é do Brasil que chega a maior parte dos turistas da região para Portugal, contando com aproximadamente 84% do conjunto de hóspedes provenientes da América Latina e Caraíbas.

Por outro lado, é da República Dominicana, Cuba, Paraguai e Panamá que vêm menos turistas para Portugal.

Quando observamos a tabela de fluxos turísticos entre América Latina e Portugal, medida em termos de dormidas, concluímos que, desde 2009 o número de dormidas em Portugal, por parte de turistas latino-americanos e caribenhos, tem vindo a aumentar constantemente, com a exceção de turistas provenientes de Cuba e da Venezuela, cujas dormidas em Portugal diminuíram de 2009 para 2016.

2Dormidas ALC para PT

2. FLUXOS TURÍSTICOS DE PORTUGAL PARA A AMÉRICA LATINA E CARAÍBAS

Relativamente aos fluxos turísticos de Portugal para a América Latina e Caraíbas, medidos por número de viagens, percebemos que no geral também têm vindo a evoluir significativamente.

Observando a tabela podemos concluir que os fluxos de turismo de Portugal para a Argentina, Brasil, México e República Dominicana diminuíram de 2009 para 2016, sendo que a diminuição mais visível foi a de viagens com destino ao Brasil. No entanto, no conjunto de países da América Latina e Caraíbas, o Brasil mantém-se claramente como o destino predileto dos portugueses, tendo um peso significativamente maior relativo ao número de viagens do que qualquer outro destino da região. Em 2016, representou mais de 50% das viagens de portugueses para toda a região.

3Viagens PT para ALC

As viagens com destino ao Chile, Colômbia, Cuba, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela têm vindo a aumentar desde 2009.

3. FLUXOS AÉREOS ENTRE PORTUGAL E A AMÉRICA LATINA E CARAÍBAS

Analisaram-se os fluxos aéreos entre Portugal e a América Latina e Caraíbas pelo no número de voos diretos semanais, nos meses de verão.

Neste sentido, e observando as tabelas acima, podemos verificar que em 2017, existiam 16 voos ligações diretas entre os diferentes aeroportos de Portugal e os diferentes aeroportos e cidades latino-americanas e caribenhas. Sendo que 11 desses voos são para cidades brasileiras, contabiliza-se um total de 97 ligações semanais.

O maior número de destinos atingiu-se nos anos de 2014 e 2015, tendo Portugal ligações aéreas diretas para 19 cidades na região.

Fluxos Aéreos PT-ALC1

Concluímos também que não existem voos diretos do aeroporto da Madeira para a região desde 2015 e que os únicos voos diretos do aeroporto do Porto para a América Latina, são para São Paulo e Rio de Janeiro. Deste modo, o aeroporto de Lisboa, é o aeroporto português que faz mais ligações aéreas diretas entre Portugal e as cidades Latino Americanas e das Caraíbas, hoje em dia 97.

Atualmente, só existem ligações diretas e regulares de Portugal para o Brasil e para a Venezuela.

Fluxos Aéreos PT-ALC2

INVESTIMENTOS DE PORTUGAL NA AMÉRICA LATINA E CARAÍBAS

Os investimentos de Portugal na América Latina e Caraíbas, no setor do turismo, traduzem-se essencialmente no número de empresas hoteleiras portuguesas que possuem unidades na região. Neste sentido, podemos contar com os seguintes grupos hoteleiros: Grupo Pestana, Grupo Vila Galé, Grupo D. Pedro, Grupo Porto Bay, e o Grupo Enotel Hotels and Resorts (Grupo Estevão Neves da Madeira).

Desde 2008 foram inaugurados os seguintes empreendimentos turísticos:

BRASIL
Grupo Pestana
Pestana Bahia Lodge – Localizado em Salvador, Bahia (403 apartamentos, 17 suítes e 3 suítes presidenciais);
Pestana Convento do Carmo – Localizado em Salvador, Bahia (79 quartos);

Grupo Vila Galé
Vila Galé Cucumbo – Localizado em Ceará é um resort all inclusive (416 quartos e suítes e 49 chalés);
Vila Galé Rio de Janeiro – Localizado no Rio de Janeiro (292 apartamentos);
Vila Galé Eco Resort de Angra – Localizado em Angra dos Reis em regime all inclusive (319 apartamentos);
Vila Galé Eco Resort do Cabo – Resort em regime all inclusive localizado no Recife – Pernambuco (300 apartamentos);
Vila Galé Touros – Em construção;

Grupo Dom Pedro
Dom Pedro Laguna – Localizado na costa leste do Ceará, está integrado do Eco-Resort de luxo Aquiraz Riviera (64 apartamentos, 22 water villas, 8 presidential villas, 8 royal villas);

Grupo Porto Bay
Porto Bay São Paulo – Localizado em São Paulo (hotel boutique com 84 apartamentos);
Nota: O então português Tivoli inaugurou o São Paulo-Moffarej – Localizado em São Paulo (217 quartos);

CUBA
Grupo Pestana
Pestana Cayo Coco Beach Resort – Localizado em Cayo Coco (508 quartos);

VENEZUELA
Grupo Pestana
Pestana Caracas – Localizado em Caracas (195 quartos)

 

CONCLUSÃO
As relações turísticas entre Portugal e os países da América Latina e Caraíbas têm vindo, claramente, a alterar-se positivamente nos últimos anos.

No que diz respeito aos fluxos turísticos da América Latina e Caraíbas para Portugal, podemos afirmar que, no geral, estamos perante uma tendência de crescimento. À exceção de Cuba e Venezuela, cujo número de visitantes diminuiu de 2009 para 2016, todos os outros países têm demonstrado este aumento constante.

Da mesma forma, os fluxos turísticos de Portugal para a América Latina e Caraíbas apresentaram uma evolução geral nos últimos 10 anos. Países como Chile, Colômbia, Cuba, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai estão cada vez mais dentro das opções turísticas dos portugueses.

A história fez com que Portugal e o Brasil estejam para sempre intimamente ligados e isso reflete-se em todos as áreas de relacionamento. Também no setor do turismo podemos observar esta proximidade, uma vez que, apesar de se ter verificado um decréscimo no fluxo turístico de Portugal para o Brasil, de 183.7 mil viagens em 2009 para 150 mil em 2016, este continua a ser, entre todos os outros países da América Latina e Caraíbas, o principal destino turístico para os portugueses.

Naturalmente, do número total de turistas latino-americanos e caribenhos, os brasileiros são os que vêm em maior número para Portugal.

Um fator importantíssimo para este desenvolvimento do Turismo entre Portugal e a América Latina são os fluxos aéreos, isto é, a existência de rotas aéreas entre ambos os países. Neste sentido, o Brasil mais uma vez tem vantagem relativamente aos outros países da região, uma vez que é o país com mais ligações aéreas diretas de Portugal. Nos meses de verão também existem voos diretos entre Lisboa e Cancún e Lisboa e Punta Cana, visto que estes são também dois dos destinos favoritos de praia dos portugueses. Existem ainda voos diretos para Caracas, sendo que é do Aeroporto de Lisboa que sai a grande maioria dos voos diretos para a região.
Relativamente ao investimento português no setor do turismo na região, o Grupo Pestana é, claramente, o grupo hoteleiro mais presente, tendo empreendimentos na Argentina, Brasil, Colômbia, Cuba e Venezuela

Contudo, apesar do cenário do Turismo entre Portugal e a América Latina e Caraíbas ser bastante animador e ter vindo a evoluir positivamente nos últimos anos, o potencial de desenvolvimento é ainda enorme.

Tendo em conta as afinidades culturais, étnicas, linguísticas, históricas e religiosas partilhadas, continuam a ser bastante reduzidas as visitas de latino-americanos no panorama global português. Excluindo o Brasil, que contabiliza quase 6%, a América Latina e Caraíbas ainda representa apenas 1% do total de hóspedes em Portugal.

 

Fonte: todas as tabelas e dados foram fornecidos ao IPDAL pelo Turismo de Portugal.