Notícias

Dos dez países com previsão de maior crescimento económico no próximo ano, três encontram-se em África.

Segundo a publicação “The World in 2020″, Ruanda, Etiópia e Costa do Marfim são os três países do continente que registarão um maior aumento de riqueza.

De acordo com a publicação anual da “The Economist”, a economia Angolana irá aumentar impostos e cortar subsídios para melhorar sua saúde fiscal e promover o investimento no setor de petróleo. Mesmo com as reformas, estima-se uma contração da economia, inferior a 2%, estando prevista uma melhoria a partir de 2021.

Quanto aos Camarões, o presidente Paul Biya enfrentará uma inflação na casa dos 1.6%, e uma taxa de crescimento do PIB de 3.5%. No Egito, o governo continuará as reformar económicas a fim de atrair investimento estrangeiro, sob a égide do FMI. Este cenário tratá um crescimento de 5.1%.

O Governo da Etiópia deverá enfrentar uma oposição política fraca, enquanto tenta focar os seus investimentos nos setores da infraestrutura, eletricidade e e zonas industriais especiais, conseguindo um crescimento do PIB de 7.4%.

O Presidente do Quênia, por sua vez, continuará a investir no programa “BIG FOUR”, com desenvolvimento na saúde, habitação, segurança alimentar e manufaturas. O crescimento do PIB atingirá os 5.6%.

Em Marrocos, a estabilidade do Rei Mohammed VI e o comércio com a União Europeia permitem que a inflação seja perto de nula, com um crescimento do PIB em torno de 2.6%.

Na Nigéria, a maior economia africana, o PIB deverá crescer 2%. E quanto à África do Sul, o presidente Cyril Ramaphosa deverá ver a economia crescer 1,6%.