Notícias

Portugal promove Cimeira UE/Brasil a 4 de Julho, em Lisboa

Portugal promove no dia 4 de Julho uma inédita cimeira entre o União Europeia (UE) e o Brasil em Lisboa, afirmou esta quarta-feira o embaixador português em Brasília, Francisco Seixas da Costa.

Em artigo publicado na primeira página da edição do jornal O Estado de São Paulo, o diplomata português salienta que «Portugal decidiu eleger o Brasil como importante prioridade da sua agenda europeia».

A cimeira reunirá o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente em exercício da UE, o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates.

«Com a organização desse encontro, o diálogo político entre o Brasil e o espaço comunitário europeu atingirá o mais elevado patamar possível, lugar onde, actualmente, a UE apenas colocou países como os Estados Unidos, Canadá, Rússia, China, Japão e Índia», sublinhou.

Segundo o artigo, o objectivo da cimeira é «preparar as bases para a consagração do Brasil como futuro parceiro estratégico da UE, modelo que o tornará, em definitivo, num interlocutor privilegiado e regular do espaço europeu».

«Parece-nos uma evidência que o Brasil se assume hoje, no plano internacional, como uma referência para quantos promovem os valores das sociedades livres, pela proeminência que dá à defesa da democracia, à observância das regras do Estado de Direito e ao respeito pelos direitos humanos».

O diplomata realçou que o Brasil dispõe de um «sólido corpo de instituições que não têm sido abaladas por crises conjunturais e têm mesmo sabido dar-lhes resposta, com um sistema judicial reconhecidamente livre e activo no funcionamento».

«Além disso, existe hoje no Brasil uma sociedade civil crescentemente atenta e cada vez mais organizada, uma comunicação social que exprime pluralismo», salientou.

Seixas da Costa referiu ainda que o «nível de crescimento dos investimentos e das trocas comerciais do Brasil com a Europa é a prova da inter-penetração progressiva das economias dos dois espaços».

«O Brasil tem hoje todas as portas da Europa abertas, de par em par, mas orgulhamo-nos, cremos que legitimamente, em poder afirmar, sem receios de sermos desmentidos, que nenhum país dá mais atenção ao Brasil e à promoção de seus interesses na UE do que Portugal», afirmou.

Diário Digital / Lusa – 16 de Maio de 2007