Notícias

O IPDAL apoiou a organização de uma conferência académica com o ex Presidente do México, Ernesto Zedillo.

Na Universidade Europeia, em Lisboa, o antigo Chefe de Estado falou sobre a “Globalização na Era dos Populismos”. Num auditório lotado com alunos de várias nacionalidades, estiveram presentes os embaixadores e diplomatas latino-americanos, entre outros convidados do IPDAL como a Representante da Organização dos Estados Ibero-americanos em Portugal.

A intervenção do Presidente Zedillo iniciou com uma retrospetiva histórica dos acordos comerciais entre países e blocos económicos, tendo declarado que os movimentos de integração regional são resultado da vontade política dos líderes eleitos democraticamente. O atual diretor do Center for the Study of Globalization, da Universidade de Yale nos Estados Unidos, defendeu que o populismo é a maior ameaça à democracia e explicou que, desde a última metade do século XX, tem sido um fenómeno característico da América Latina, que só recentemente regressou a outras regiões do mundo Ocidental. O economista, que foi Chefe de Estado do México entre 1994 e 2000, considerou ainda que o populismo não é uma ideologia mas uma narrativa política que, recusando o diálogo, assenta as bases do seu crescimento na polarização e no confronto, ao mesmo tempo promovendo e alimentando-se de sentimentos antagonistas, medo e revolta nas sociedades. Para o Presidente Zedillo, o populismo explora as fragilidades e os problemas gerados pela globalização para disseminar um discurso maniqueísta, onde a responsabilidade de todos os males é sempre de forças externas e nunca das decisões dos próprios Estados ou dos seus líderes.

Zedillo