Notícias

O presidente Lula da Silva disse hoje à agência Lusa que a primeira cimeira Brasil-União Europeia vai abrir «novos horizontes para as relações entre dois sócios tradicionais» e contribuir para uma aproximação entre o bloco europeu e o Mercosul.

Na avaliação do Presidente brasileiro, a iniciativa de institucionalizar o diálogo Brasil-UE ao mais alto nível «reforça a cooperação entre comunidades que partilham valores universais, interesses e aspirações comuns».

«Por meio de uma estreita e regular coordenação de esforços, a União Europeia e o Brasil poderão engajar-se mais no debate sobre temas prioritários da agenda internacional, tais como comércio justo, mudanças climáticas, segurança energética e financiamento ao desenvolvimento», declarou à Lusa.

Lula da Silva ressaltou ainda que a reunião vai permitir uma «aproximação mais consistente» entre a União Europeia e o Mercosul.

A expectativa do governo brasileiro, segundo o Ministério das Relações Exteriores, é de que UE e Mercosul retomem as negociações para a criação de uma área de livre comércio no segundo semestre deste ano, durante a Presidência Portuguesa da União Europeia.

O Brasil considera que o momento para a retoma do diálogo sobre um acordo comercial entre os dois blocos é favorável, já que o desfecho sobre a Ronda de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) está próximo, seja para uma conclusão ou para um fracasso.

O Presidente do Brasil sublinhou ainda que a realização da cimeira em Lisboa representa o «empenho particular de Portugal» na consecução dessa parceria estratégica e um «gesto de reconhecimento aos laços de história e amizade que unem os povos brasileiro e português».

Lula da Silva chega a Lisboa na quarta-feira de manhã, acompanhado pelos ministros das Relações Exteriores, Celso Amorim, da Casa Civil, Dilma Roussef, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge.

Integram ainda a delegação brasileira o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), Luciano Coutinho.

O primeiro compromisso do Presidente Lula em Lisboa é a cerimónia de encerramento da I Cimeira Empresarial Brasil-União Europeia.

O primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, também estará presente no evento que busca a uma aproximação maior entre empresários brasileiros e europeus.

Às 16:00 de quarta-feira em Lisboa, Lula da Silva e José Sócrates participam da cimeira Brasil-UE, ao lado do primeiro ministro da Eslovénia, Janez Jansa, do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, do alto representante para Política Externa e de Defesa Comum da UE, Javier Solana, e do comissário de Comércio, Peter Mandelson.

Às 18:30 horas, haverá uma conferência de imprensa conjunta do Presidente brasileiro e do primeiro-ministro português, além da divulgação da declaração final da cimeira.

À noite, o presidente de Portugal, Cavaco Silva, oferece no Centro Cultural de Belém um jantar em homenagem ao Presidente Lula, com a presença de chefes de Estado e de Governo de países europeus, como França, Alemanha, Itália, Espanha, Finlândia, Eslováquia e Letônia.

Na quinta-feira, o Presidente Lula segue para Bruxelas, onde participa da abertura da Conferência Internacional sobre Biocombustíveis.

À margem da conferência, realizar-se-á uma reunião do Foro Internacional de Biocombustíveis, que congrega Brasil, União Europeia, Estados Unidos, China, Índia e África do Sul.

À tarde, Lula da Silva reúne-se com o presidente do Parlamento Europeu, Hans-Gert Poettering, e em seguida com presidentes dos oito grupos políticos representados na instituição.

Diário Digital / Lusa