Notícias

Nos dias 14 e 15 de Junho decorreu em Madrid o III Seminário da União Europeia – América Latina. Este ano o tema do Seminário foi “Diálogo através de Portugal e Espanha”. O Seminário foi organizado pela Fundação Europa-América, pelo Instituto para a Promoção e Desenvolvimento da América Latina, pelo Real Instituto Elcano, pela Fundação Carolina e pela Representação da Comissão Europeia em Madrid.



O Seminário foi aberto pela Secretária de Estado espanhola para a iberoamérica, Trinidad Jiménez. De Portugal participaram o Embaixador português em Madrid, José Filipe Moraes, Paulo Neves e Filipe Burguete do Instituto para a Promoção e Desenvolvimento da América Latina.

Na sua intervenção Filipe Burguete apresentou os principais objectivos do IPDAL, destacando a sua forte componente em promover a América Latina como uma Região e os países latino-americanos individualmente. Filipe Burguete apresentou igualmente algumas das recentes actividades do Instituto. Este membro do IPDAL participou na Mesa onde fez parte a Secretária-Geral da Fundação Europa-América, Assunción Valdez.

Presidente do IPDAL critica atraso da integração regional

Paulo Neves, na sua intervenção, lamentou o atraso da América Latina em matéria de integração. Deu o exemplo da Europa como um “exemplo a seguir em matéria de integração regional”. Apesar disso destacou a importância dos 19 países latino americanos para Portugal e para a Espanha. Realçou o papel dos países ibéricos no desenvolvimento das relações entre a Europa e a América Latina. Responsabilizou no entanto tanto Madrid como Lisboa por algum “desinteresse” dos países europeus em relação à América Latina. O Presidente do IPDAL considerou injusta a política agrícola europeia que penaliza os produtos latino americanos. Destacou aquilo que considerou “uma vitória da diplomacia portuguesa” na concretização de um a Cimeira entre a União Europeia e o Brasil. “Trata-se de uma vitória de Lisboa, do Brasil mas acima de tudo da América Latina”, acrescentando que “o Brasil vale por si mas também como Nação latino americana”. Paulo Neves desafiou a América Latina a empreender uma verdadeira política de integração regional e a eleger uma voz comum.